Permuta imobiliária: saiba o que é e como funciona!

Você já sabe que vender uma casa ou apartamento nem sempre é fácil. Se você depende de vender o seu atual imóvel para comprar outro, a dificuldade é ainda maior.

Se este é o seu caso, saiba que você pode optar pela permuta imobiliária. Ela permite que você troque de imóvel sem precisar primeiro vender o que você já tem. Para saber mais sobre como funciona, é só conferir o nosso guia!

O que é permuta imobiliária?

A permuta imobiliária é uma troca comercial, onde duas partes concordam em ceder o bem que cada uma tem e ficar com o bem atual da outra. É uma excelente forma de negociação para quem pretende vender o imóvel atual para adquirir outro, pois acaba poupando o trabalho de anunciar o imóvel. Uma das maiores vantagens da permuta é que nela não incidem juros.

Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem permutar imóveis, incluindo imóveis comerciais, e também terrenos.

O que fazer quando há muita diferença nos valores?

Em geral, quando se faz uma permuta, os bens permutados estão na mesma faixa de preço, e não é preciso fazer muitos ajustes. No entanto, se esse não for o caso, há algumas maneiras de lidar com o pagamento da diferença. Confira!

Torna

A torna é o mais simples de todos: a diferença é paga em dinheiro para quem vendeu o bem de maior valor. Apesar de ser prática, a torna não é muito utilizada, pois incide imposto de renda sobre essa diferença.

Troca de terreno por apartamento

Se você é dono de um terreno e uma empreiteira tem interesse nele, você pode ser pago em apartamentos. Ou seja, em vez de receber dinheiro, você é pago em posse sobre uma ou mais unidades habitacionais construídas.

Outro bem

Se o seu imóvel tem um valor menor, você pode pagar a diferença com motos, carros, e outros bens do gênero. Assim, não haverá imposto de renda, somente os custos da transferência de propriedade.

Quando vale a pena permutar?

A permuta imobiliária é vantajosa se você pretende se livrar rapidamente do seu imóvel atual e adquirir outro na mesma faixa de preço. Por exemplo, para quem vai se mudar de cidade ou de bairro. Caso você deseje adquirir um imóvel maior ou com padrão superior, considere primeiro vender o bem atual e dar entrada em um novo, pois será mais difícil fazer a permuta.

A permuta é arriscada?

É fundamental que, ao fazer permuta, você e a outra parte estabeleçam um contrato, para que ambos tenham segurança jurídica. A melhor forma de fazer isso é usando uma escritura pública. No contrato é importante descrever como serão divididos os custos (transferência, taxas municipais etc.), a data de entrega de cada bem, o estado em que cada um se encontra e todas as obrigações de cada parte.

Ao permutar um terreno por um apartamento, é importante definir uma data máxima para receber o bem que será construído e quais as sanções em caso de atraso, evitando que haja prejuízo por desvalorização.

Lembre-se de contar com uma imobiliária que presta consultoria jurídica especializada na hora de fazer o contrato, a fim de evitar dissabores no futuro.

Se você gostou do nosso guia sobre permuta imobiliária, que tal assinar a nossa newsletter e receber mais conteúdos como este? Não perca a oportunidade de se manter informado!

Deixe um comentário

Share This